Monumentos e vestígios da história do Brasil

Monumentos e vestígios da história do Brasil:
uma vista à cidade imperial – A8 – Unidade américas 

O Brasil Império é logo ali…

Durante o ano de 2014, os alunos do oitavo ano, dentre outros temas, estudaram com profundidade o século XIX e o período imperial no Brasil. A visita a cidade imperial proporcionou, portanto, uma experiência diferente, curiosa e muito rica, ligada a essa temática. 

A história da Petrópolis remonta a uma vista ao local feita por Dom Pedro I em 1822 e a construção de um palácio de veraneio por seu filho, D. Pedro II, concluído em 1847. Desde então, devido a seu clima ameno e paisagem belíssima, o espaço transformou-se na residência oficial de verão da Corte.

A vista, todavia, longe de se ater somente no referido Palácio, que hoje abriga o Museu Imperial, procurou indicar, a partir de uma visita guiada, outros importantes espaços de memória e história dessa cidade. 

Na Casa do Colono, os alunos tiveram acesso a mobiliários, objetos e indumentárias que fizeram parte do cotidiano dos muitos imigrantes que foram precursores na ocupação da região, antes mesmo da Corte. 

O Palácio Quitandinha, maior palácio do Brasil, construído para ser um cassino, em 1944, e o Palácio de Cristal, palacete com armações de metal e paredes de vidro, trazido da França pelo Conde d’Eu e pela Princesa Isabel, foram outros espaços visitados. 

Na Catedral de São Pedro de Alcântara, aspectos ligados à religiosidade do Brasil foram ressaltados, embora o Mausoléu Imperial, com os restos mortais de Dom Pedro II e sua mulher Dona Tereza, do Conde d’Eu e da Princesa Isabel tenham chamado amis a atenção dos alunos.

A parada para o almoço foi extremamente alegre e inusitada, uma vez que, nela, festejamos o aniversário do aluno Eduardo Doce, com direito a bolo e incontáveis “parabéns para você…”

No retorno às visitações, a Casa de Santos Dumont foi uma outra parada interessante. Planejada pelo inventor, esse espaço abriga sua leitura de arquitetura e de otimização do espaço, além de reunir alguns de seus curiosos objetos pessoais.

No Museu Imperial, os alunos tiveram contato com um rico acervo sobre a história da monarquia do Brasil, a partir da observação, dentre outros, dos cômodos reais, do trono, da coroa de Dom Pedro II e, também, da pena utilizada pela Princesa Isabel para assinar a Lei Áurea. 

Desta forma, em um dia de visitação à cidade imperial, diferentes aspectos ligados à história e memória do Brasil no século XIX, puderam ser reconhecidos e vivenciados em uma aula diferente, viva e enriquecedora.

[Not a valid template]

Colégio Bahiense